A coisa anda tão corrida que as notícias estão tudo empilhando…
Tenho até que começar a anotar sobre o que quero falar porque senão vou começar a esquecer. Coisa de quem tá ficando velha, né? Fala sério!

Era uma quinta-feira comum, dia 12 de outubro! Se eu estivesse no Brasil estaria curtindo o feriadinho, mas que nada, estava lá trabalhando. Era um dia tão comum que a Cris me ligou e me perguntou: "O que você vai fazer à noite?" e respondi: "Vou sair do trabalho e ir pra casa que hoje o Marcelo quer estudar!".

Mas aí algo inesperado aconteceu. O Marcelo me ligou e perguntou se eu não queria ir no show do Pink Floyd (do Roger Waters na verdade!). Não entendi nada, mas respondi que sim, né?
Depois ele me explicou o que aconteceu. O ex-chefe dele estava viajando e tinha comprado os ingressos. Como ele não ia poder ir, ofereceu os ingressos pro Paulo (que já tinha!) que ofereceu pro Michael (que não podia ir!) que sugeriu que desse os ingressos pro Marcelo já que ele ama Pink Floyd! E assim conseguimos ir no show do Roger Waters free!

Fomos direto do trabalho pro Key Arena e fizemos um lanchinho no McDonalds. Foi a primeira vez que comi McDonalds por aqui. Falavam que era tão ruim, muito pior que o do Brasil, que eu ficava até com medo de entrar lá. No final, achei normal.

Mas foi o mesmo esquema de show. Super tranquilo pra estacionar, sem confusão pra entrar e sua cadeira lá te esperando.  Apesar de que nesta vez, vimos cambistas e a maconha rolando solta, coisa que não é muito comum. Você mal vê o pessoal fumando cigarro por aqui!

O show foi demais! Mesmo eu que achei que só conhecia a música "The Wall" descobri que eu conhecia um monte delas! Três horas de show. Animal! Saindo de lá, fomos para um lugar super gostoso que o Paulo e a Natalie conheciam chamado Black Bottle, em Seattle.

Muito bom!

Anúncios